CLIMA DE VIAGEM

10 coisas para não fazer no Rio de Janeiro

por Redação

Oferecimento

Você já sabe que o Rio de Janeiro é uma Cidade Maravilhosa cheia de encantos mil. Também sabe quais são as principais atrações e o que há de mais imperdível no destino. Entretanto, há um espaço nessa lista pré-viagem que só pode ser preenchido pela visão de locais: o que NÃO fazer. Como nós do Falando de Viagem estamos baseados aqui no Rio, onde muitos brasileiros e turistas do mundo todo passam as férias, temos dicas para evitar que você caia em furadas.

 

1) Andar só de roupa de banho nas ruas

É verdade que cariocas têm um estilo mais despojado e a famosa ideia de ir de chinelo para (quase) qualquer lugar é sim bem aceita. Apesar de ser uma metrópole hiperfuncional, o clima praiano domina. Entretanto, existe um limite do que é ou não aceito e ele se explicita no andar só de roupa de banho pelas ruas. Isso NÃO se faz! Ninguém anda só de biquíni ou sunga para além da areia. Vista-se ao sair da praia.

 

2) Achar que Copacabana é o melhor bairro

Jamais vamos negar que Copacabana carrega um simbolismo gigantesco não só no Rio, mas no Brasil e até no mundo. Entretanto, não é verdade que o bairro manteve seu título de realeza máxima na cidade quando o assunto é passeio. Copacabana é hiperlotada tanto de locais como de gringos. Os estabelecimentos, como lojas e restaurantes, são mais simples, porém caros, no melhor estilo 'pega turista'. É claro que há exceções, mas fato é que ao explorar outros bairros, como Ipanema, Leblon, Botafogo, Centro e Santa Teresa, por exemplo, você vai chegar à conclusão que Copacabana provavelmente não é seu favorito - Ipanema costuma preencher esse cargo.

 

3) Ter medo de andar na rua

Este tópico é um grande porém. É claro que o Rio é violento. O Brasil é violento. A grande questão é: infelizmente, a violência está presente na rotina dos cariocas assim como acontece em qualquer outra metrópole brasileira. Naturalmente é recomendado que você fique atento aos seus pertences e preste uma atenção extra em áreas de risco, mas você não deve deixar de caminhar pelas ruas cariocas por causa disso. Nós defendemos que bater perna é a melhor forma de conhecer qualquer destino e no Rio não é diferente.

 

4) Limitar o roteiro à Zona Sul

É verdade que a Zona Sul carioca concentra grande parte das atrações da cidade, entretanto, encorajamos que você vá além, principalmente para a Zona Central. É no Centro que estão os museus, o Porto Maravilha, o Sambódromo, o charmoso bairro de Santa Teresa e muito mais. Para visitar o icônico Estádio do Maracanã, você também vai precisar sair da Zona Sul, por exemplo. Se o seu tempo na Cidade Maravilhosa for um pouco mais longo, vale a pena até conhecer a Barra da Tijuca.

 

5) Esnobar a gastronomia

É fato que o título de melhores serviços do Brasil vai para São Paulo e a gastronomia é um fator decisivo para tal fama. O leque de opções e o nível do que é oferecido em terras paulistanas é realmente superior. Entretanto, isso não significa que a gastronomia carioca deixe a desejar. O Rio possui uma infinidade de excelentes restaurantes para deixar a sua visita mais saborosa. Apesar de ser uma cidade de praia, não resuma a culinária da viagem às iscas dos quiosques. A cena gastronômica da cidade é ampla, com restaurantes de todas as cozinhas que vão dos pés-sujos até os estrelados Michelin.

 

 

LEIA MAIS

 

Fonte: Falando de Viagem

DESTINOS TURÍSTICOS NO BRASIL

FASES DA LUA

  • Nova
    16/10
  • Crescente
    23/10
  • Cheia
    01/10
  • Minguante
    09/10

ESTAÇÕES DO ANO

  • Primavera
    22/09
  • Verão
    21/12